Buzatto’s News: destaques da semana

Buzatto’s News: destaques da semana
19 de junho de 2020 Viviane Massi
Buzatto's News: destaques da semana

Olá, iniciamos hoje o nosso boletim semanal com alguns destaques da semana. Boa leitura!

➡️ Boletim do MS traz análise detalhada do perfil de casos e óbitos da Covid-19

O Ministério da Saúde publicou, nesta quinta-feira (18), o Boletim Epidemiológico Especial nº 18 sobre a Covid-19 no Brasil. O novo boletim segue o mesmo modelo da nova plataforma do Ministério da Saúde, o SUS Analítico, com informações mais detalhadas sobre o perfil de casos e óbitos pela doença e sobre as hospitalizações e os óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG). O objetivo é trazer informações mais precisas sobre o cenário atual da doença e permitir ao Poder Público adequar ações e agir com mais efetividade na proteção e assistência à população

De acordo com o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros, o país está entrando em um platô de novos casos da Covid-19. “É possível observar que há uma tendência de estabilização de novos casos e de queda no número de óbitos pela doença”, afirmou o secretário durante coletiva de imprensa, nesta quinta-feira (18), no Palácio do Planalto, em Brasília (DF).

Fonte: Ministério da Saúde

 

➡️Brasil tem 48.029 mortes por coronavírus, mostra consórcio de veículos de imprensa

O Brasil tem 48.029 mortes por coronavírus confirmadas até as 13h desta sexta-feira (19), aponta um levantamento feito pelo consórcio de veículos de imprensa a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde.

O consórcio divulgou na quinta (18), às 20h, o 11º balanço, com os dados mais atualizados das secretarias estaduais naquele momento. Desde então, CE, DF, GO, MG, MS, MT, PE, RN e RR divulgaram novos dados.

Veja os dados atualizados às 13h desta sexta-feira (19):

  • 029 mortes
  • 164 casos confirmados

(Na quinta, 18, às 20h, o balanço indicou: 47.869 mortes, 1.204 em 24 horas; e 983.359 casos confirmados. Pelo 3º dia consecutivo, país tem mais de 1,2 mil mortes no período de 24 horas; é apenas a segunda vez que isso ocorre desde o início da pandemia. Região Sudeste concentra quase metade do total de óbitos)

Fonte: G1

 

➡️ Pesquisa aponta que consumidor de farmácias prioriza preço

O Instituto Febrafar de Pesquisa e Educação Corporativa (IFEPEC), em parceria com o Instituto de Economia da Unicamp, realizou a 4ª Pesquisa do Perfil de Compra dos Clientes das Farmácias, que trouxe informações bastante relevantes sobre o comportamento de compra nesses estabelecimentos.

Ao todo, foram entrevistados 4 mil clientes nas ruas das capitais brasileiras, após realizarem compras em farmácias dos seguintes agrupamentos: Abrafarma, outras redes corporativas, Febrafar, outros agrupamentos e farmácias independentes.

Cerca de 64,4% dos entrevistados revelaram priorizar os preços na hora de comprar um medicamento. O segundo fator que se destaca é a localização (24,5%). O resultado deixa claro que os clientes querem economizar ao entrar em uma farmácia.

Outro dado revelado na pesquisa é que 86,7% dos clientes não costumam pesquisar preços em outras farmácias, enquanto 9,2% falaram que não pesquisou especificamente na data da pesquisa e apenas 3,8% afirmaram ter pesquisado. Uma parcela mínima (0,3%) disse que pesquisa os valores dos medicamentos online.

Fonte: Portal Revista da Farmácia

 

➡️ Farmácias devem aderir ao pagamento por WhatsApp

Lançado na última segunda-feira, dia 15/6, o recurso de pagamento via WhatsApp desponta como um canal de vendas promissor para o varejo farmacêutico, especialmente para farmácias independentes e associativistas. A tendência é apontada por gestores e consultores especializados no setor. Nas grandes redes de farmácias, o processo de implantação será mais lento, pois devem aguardar a regulação da modalidade pelas autoridades monetárias.

Com mais de 120 milhões de usuários, a rede social tem escala para dominar os meios de pagamento do mercado.  Hoje o WhatsApp é também o principal canal de comunicação das farmácias independentes e de manipulação. Por meio do aplicativo, a loja vende, tira as dúvidas do cliente e envia promoções e ofertas de novos serviços.

Como funcionará o serviço

Para usuários de contas pessoais, o WhatsApp mantém o limite de R$ 1 mil por transação. Por dia, podem ser realizadas até 20 transações, mas os valores de transferência não podem ultrapassar R$ 5 mil por mês. A plataforma também não cobra tarifas pelas transferências entre contas pessoais, nem para pagamentos de compras realizadas em empresas no WhatsApp Business. Já para as empresas cadastradas no WhatsApp Business, não há limite nos valores de transações.

O Brasil é o primeiro país a receber a novidade. No momento, são autorizados a comprar pelo sistema apenas os correntistas do Banco do Brasil, Nubank e Sicredi, por cartões de débito das bandeiras Visa e Mastercard, em parceria com a Cielo.

Fonte: Panorama Farmacêutico

 

➡️ O “novo normal” na medicina: confira 10 tendências da era pós-Covid

Assim como já aconteceu em outros setores, a tecnologia vem transformando a saúde. Esse processo que vinha caminhando lentamente nos últimos anos, tomou impulso com a pandemia da Covid-19, que impôs uma série de restrições e cuidados extras para população e para os profissionais da área.

Veja abaixo as tendências para a saúde do futuro:

1- Digitalização de parte do atendimento;

2- Educação e atualização médica online;

3- Inteligência Artificial no atendimento;

4- Uso do pensamento ágil para criar soluções na área de saúde;

5- Empoderamento do paciente;

6- Conexão emocional;

7- Estruturas descentralizadas e compartilhadas;

8- Uso de dados;

9- Médicos influenciadores;

10- Conhecimento colaborativo.

Leia o conteúdo completo

Fonte: Portal Hospitais Brasil

 

 

 

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*