Entenda para que servem as salas limpas

Entenda para que servem as salas limpas
16 de junho de 2020 Viviane Massi
Entenda para que servem as salas limpas

As salas limpas são ambientes altamente controlados e preparados para a realização de testes ou fabricação dos mais diversos produtos. Em geral, são encontradas em laboratórios, centros de pesquisa, hospitais, indústria de bebidas, química, farmacêutica, alimentícia, cosmética, eletrônica, veterinária, entre outros locais.

Esses ambientes são projetados para evitar a contaminação do processo produtivo com as partículas presentes no ar. As fontes mais comuns de contaminação de uma sala limpa são áreas sujas adjacentes, fornecimento de ar não filtrado, o próprio ar da sala limpa, pessoas, máquinas e peças auxiliares, matérias-primas, contêineres e embalagens.

As indústrias farmacêuticas, por exemplo, apenas começam a operar nesses locais depois que as salas limpas são aprovadas nos testes de certificação e qualificação. Ajustá-las aos padrões de conformidade pode ser custoso e demorado. Por isso, a fase inicial do projeto é tão importante, porque é quando são pensados e acertados todos os detalhes, principalmente em relação às normas em vigor.

No Brasil, as normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e do INMETRO, bem como as resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e do Food and Drug Administration (FDA) são os principais parâmetros a serem seguidos para projetar e construir salas limpas, além de outros requisitos particulares a cada processo ou procedimento da empresa em questão.

Exigências primárias para as salas limpas

As exigências primárias para as salas limpas dizem respeito a controle de parâmetros como temperatura, umidade, pressão e filtragem do ar. Além disso, a montagem do local deve ser feita com materiais e equipamentos especialmente desenvolvidos para evitar a contaminação com elementos do ambiente externo.

Pisos, paredes e tetos devem garantir o máximo de limpeza e o mínimo de contaminação. O piso é o elemento mais importante, já que o processo produtivo acontece sobre ele. Deve ser de fácil limpeza e manutenção, com cores claras que permitam visualizar qualquer tipo de sujeira. Rejuntes, trincas e porosidades devem ser evitados, pois podem acumular germes e resíduos.

Atualmente, as empresas têm optado por utilizar a construção modular para montar as salas limpas. Trata-se de uma tecnologia em gesso e de rápida montagem, além do baixo custo e da facilidade de limpeza. Quando o espaço é muito reduzido, pode-se optar pela sala limpa compacta.

Alguns exemplos de equipamentos e materiais utilizados em salas limpas são antecâmaras, painel de divisórias, pass through (caixas de passagem), luminárias específicas, unidade de filtragem, unidade de ventilação, cantos arredondados, portas de abrir e correr com intertravamento, visores de vidro duplo e portas especiais desenvolvidas em aço, aço inox ou alumínio.

O layout da sala limpa também deve obedecer a determinados requisitos, como ser desenhado de acordo com o fluxo de pessoas, equipamentos, produtos e materiais, além de possuir salas, antecâmaras e corredores.

Quanto à localização, pode estar no centro – entre salas de apoio –, encostada na parede – deixando uma área livre para embalagem – ou próxima à área fornecedora de materiais. Vai depender da necessidade de cada empresa e do espaço disponível.

Equipamentos que ajudam no controle

O principal objetivo de uma sala limpa é manter o ambiente livre da contaminação externa. Atualmente, existem equipamentos capazes de combinar filtragem do ar, controle de parâmetros ambientais e baixa emissão de partículas. Entre eles, destaca-se o HVAC industrial, um sistema de ar condicionado com controle de temperatura, umidade, ventilação e exaustão mecânica.

Vale citar também as unidades de tratamento de ar, os pass throughs – caixas de passagem de materiais para evitar a contaminação cruzada –, o air shower, que impede a transferência de partículas entre áreas de processos produtivos, e os filtros de ar.

Os modelos mais tecnológicos de pass throughs possuem esteira interna com roletes em inox, fechaduras com chave elétrica ou magnética, insuflamento de ar para pressurização e visor em vidro, policarbonato ou acrílico.

Os modelos de air shower também evoluíram. Hoje contam com filtros especiais, controle de tempo e duração de fluxo, intertravamento das portas com indicador luminoso, controle automático do ventilador com inversor de frequência, sinalizador externo e lâmpadas UV.

As luminárias para salas limpas também evoluíram e hoje são de Led, o que as tornam 80% mais econômicas do ponto de vista do consumo de energia. Além disso, são fabricadas em chapas de aço tratado e podem ser dimensionadas conforme a necessidade de cada projeto.

Entre as novas tendências para salas limpas estão a substituição dos cantos arredondados em alumínio por cantos arredondados integrado ao piso, deixando uma superfície contínua com um raio de 50 a 70 mm; e as divisórias em painéis com substrato de lã de rocha ou em vidro. As duas facilitam a limpeza pelo acabamento mais liso. No entanto, o vidro precisa ser bem vedado para não ocasionar contaminação cruzada.

Leia também: Será que teremos uma vacina contra o coronavírus ainda em 2020?

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*